Eventos

Festival Literário abre possibilidades e espaços de expressão para Ensino Médio

  • 28/09/2018

Com diversas linguagens e formatos, as performances protagonizadas e produzidas pelos alunos propuseram ao público uma verdadeira imersão artística, social e histórica em grandes obras e autores da literatura romântica, da música e da arte, destacando também a importância da mulher em cada uma dessas vertentes

A 5ª edição do Festival Literário do Vértice trouxe ainda mais possibilidades às turmas do Ensino Médio. As performances, em formatos e linguagens diversas,  propuseram ao público uma verdadeira imersão artística, social e histórica em grandes obras e autores da literatura romântica, da música e da arte, destacando também a importância da mulher em cada uma dessas vertentes.

A temática feminina foi representada em uma exposição, através do trabalho e história de vida de Clarice Lispector, Rupi Kaur, poetisa feminista contemporânea, Frida Kahlo e Maria Anna Mozart (Nannerl), irmã de Mozart e tão talentosa quanto ele. Nesse espaço, o público foi convidado a refletir sobre o corpo feminino, com o insight “aceite seu edifício”, em referência a uma frase de Lispector.

A partir de releituras e seminários, outros grupos protagonizaram apresentações de obras clássicas, como Os Miseráveis, de Victor Hugo, que contou com a participação da plateia. Tivemos ainda Macbeth, O rapto de Lucrécia e Romeu Julieta, de William Shakespeare, o poema “Mãe penitente”, de Castro Alves, A Pequena Sereia, de Hans Christian Andersen, uma versão moderna de O Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, Inês de Castro, de Camões, chegando à antiguidade clássica, com Ilíada, de Homero.

Na área de música, um dos alunos apresentou um panorama das obras de Bach, Mozart, Beethoven, entre outros grandes compositores eruditos, relacionando-as com o contexto histórico e social dos séculos XVII, XVIII e XIX. Já a 3ª série do Médio fez uma releitura de musicais da Broadway , enquanto um grupo da 1ª e 2ª séries retratou musicalmente o movimento brasileiro de contracultura, a Tropicália.

Com grande mobilização das famílias, que enchem as salas para apreciar as performances, o Festival deste ano ofereceu ainda uma programação diferenciada para as crianças, com teatro de fantoche e atividades lúdicas relacionados ao folclore brasileiro.